Artigos

Sendo Feliz Para Sempre


Detectando estratégias de autopunição
Quem estuda ou pratica Programação Neurolingüística (PNL) e Hipnose, notadamente a Ericksoniana, começa a perceber padrões nas comunicações, além de observar e testar os filtros lingüísticos utilizados pelos comunicantes.
Lembrando dos filtros de Generalização, Omissão e Distorção, quero falar um pouquinho sobre o primeiro.
Continue lendo…

 

 

Quebra de Estado e Quebra de Padrão


Em Programação Neurolingüística e em algumas terapias utiliza-se muito os termos quebra de estado e quebra de padrão.
Tentarei, de forma sucinta, falar sobre eles.
quebra de estado é um procedimento que se recomenda sempre que um estado determinado é eliciado (trazido à tona).   Explico-me: Imagine que você está com o seu cliente e pede que o mesmo procure sentir-se da mesma maneira quando a       sua  namorada o deixou – quais sensações estavam presentes, o que ele ouviu, o que ele viu naquele momento, qual é a      imagem  que lhe vem à mente.

Continue lendo…
 

 

 

Resiliência – Terapia e Coaching

 

Habilidade que uma pessoa desenvolve para resistir, lidar e reagir de modo positivo em situações adversas.

Dicionário Aulete Digital

É moda atualmente, nos espaços e conversas terapêuticas e no mundo corporativo,

muito especialmente em processos de coaching, falar-se de resiliência.

Continue lendo…


 Rapport

Rapport é uma palavra francesa que pode ser traduzida como empatia, sintonia, afinidade, relação…

CRIANDO RAPPORT
Para haver rapport é preciso haver confiança.Estabelecer rapport é ir até o terreno do vizinho, entrar em sintonia com ele e convidá-lo a vir para o seu terreno.
O rapport é tão importante que sem ele os comunicadores não deveriam tentar se comunicar e os terapeutas não deveriam tentar intervenções. Para o seu próprio bem e para o bem do outro.

Continue lendo…

 

Âncoras

Uma âncora é algo que serve para ligar ou fixar uma coisa em outra ou, mais especificamente, em PNL são modos de se eliciar estados emocionais ou de recursos vinculando-os a estímulos visuais, cinestésicos, auditivos, gustativos e olfativos.

Você já sentiu alguma vez um perfume e lembrou-se de uma pessoa, querida ou não?

Continue lendo…